Capítulo 3 — Lidando com a angústia

Por Ellen White

Preocupação, não o trabalho, mata

Não é o trabalho que mata; é a preocupação. E a única maneira de evitar a preocupação é levar a Cristo toda e qualquer dificuldade.Não olhemos ao lado escuro. Cultivemos a disposição animosa do espirito. — Carta 208, 1903.

Pensar nas dificuldades

Há pessoas que andam sempre em temor, e buscando aflições. Cercam-nas dia a dia as provas do amor de Deus; desfrutam diariamente das bençãos de Sua Providência. Não atentam, entretanto, para as vantagens presentes. Sua mente está o tempo todo ocupada com alguma coisa desagradável, cuja ocorrência receiam; ou então é qualquer coisa real que, embora pequenina, as torna cegas aos muitos motivos que têm para serem agradecidas. As dificuldades que enfrentam, em vez de as impelir para Deus, única fonte de auxílio que possuem, separam-nas dEle, pois suscitam desassossego e reclamações. — Caminho a Cristo, 121 e 122.

Tornar pesadas as cargas

Temo que estejamos em perigo de, pela angústia, fazer jugos para nosso pescoço. Não nos preocupemos, pois assim tornamos muito severo o jugo e pesada a carga. Façamos tudo que pudermos, sem nos preocupar, confiando em Cristo. Estudemos Suas palavras: “Tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis.” Mateus 21:22. Essas palavras são o penhor de que tudo quanto um onipotente Salvador pode conceder será dado aos que nEle confiam. Como mordomos da graça do Céu, devemos pedir com fé, e então aguardar confiantes a salvação de Deus. Não devemos tomar-Lhe a dianteira, tentando, em nossas próprias forças, conseguir aquilo que desejamos. Em Seu nome devemos pedir, e então agir, crendo em Sua eficiência. — Carta 123, 1904.

A vontade de Deus

Não é a vontade de Deus que Seu povo ande vergado ao peso dos cuidados. — Caminho a Cristo, 122.

Ansiedade causa a doença

Havendo os erros sido endireitados, podemos apresentar as necessidades do enfermo ao Senhor com fé tranquila, como Seu Espírito nos indicar. Ele conhece cada indivíduo por nome, e cuida de cada um como se não existisse na Terra nenhum outro por quem houvesse dado Seu bem-amado Filho. Por ser o amor de Deus tão grande e inalterável, o doente deve ser estimulado a confiar nEle e ficar esperançoso. Estar ansioso quanto a si mesmo tende a causar fraqueza e doença. Se eles se erguerem acima da depressão e da tristeza, será melhor sua perspectiva de restabelecimento; pois “os olhos do Senhor estão… sobre os que esperam na Sua misericórdia”. Salmo 33:18. — A Ciência do Bom Viver, 229.

Deixe de angustiar-se (conselho a alguém que estava para morrer)

Conservo perante mim o seu caso, e aflige-me o fato de você estar com o espírito perturbado. Desejaria confortá-lo, se estivesse em meu poder. Não lhe foi Jesus, o amado Salvador, tantas vezes um auxílio bem presente em tempos de necessidade? Não entristeça o Espírito Santo, e deixe de ficar acabrunhado. Isso é o que tantas vezes você disse a outros. Permita que as palavras dos que estão doentes, como você, o confortem; e que o Senhor o ajude, é a minha oração. —  Mensagens Escolhidas 2:253.

Nos braços de Jesus

Se educássemos nosso coração para ter mais fé, mais amor, maior paciência, mais perfeita confiança em nosso Pai celestial, teríamos mais paz e felicidade ao atravessar os conflitos da vida. O Senhor não Se agrada de que nos impacientemos e fiquemos angustiados, fora dos braços de Jesus. É Ele a única fonte de toda a graça, o cumprimento de toda promessa, a realização de toda benção. … Nossa peregrinação seria na verdade solitária, não fosse Jesus. “Não vos deixarei órfãos” (João 14:18), diz-nos Ele. Acarinhemos Suas palavras, creiamos em Suas promessas, repitamo-las dia a dia e meditemos nelas nas horas da noite, e sejamos felizes. — Nossa Alta Vocação, 118 (Meditações Matinais, 1962).

Descansando no amor de Cristo

Desviemo-nos das estradas quentes e poeirentas da vida, para repousar a sombra do amor de Cristo. Ali, nos fortaleceremos para a luta. Aprenderemos a diminuir nossa angústia e preocupações, e a falar e cantar para o louvor de Deus. Os cansados e oprimidos aprenderão de Cristo uma lição de confiante calma. Se quiserem desfrutar paz e descanso, devem sentar-se a Sua sombra. Testemunhos para a Igreja 7:69.

Responsabilidade de Deus

Quando tomamos em nossas mãos o controle das coisas com que temos de lidar, e confiamos em nossa própria sabedoria quanto ao êxito, chamamos sobre nós um fardo que Deus não nos deu, e estamos a levá-lo sem Sua ajuda. Estamos tomando sobre nós a responsabilidade que pertence a Deus, pondo-nos, na verdade, assim em Seu lugar. Podemos ter ansiedade e antecipar perigos e perdas; pois isso de fato vai sobrevir. Mas quando verdadeiramente acreditamos que Deus nos ama, e nos quer fazer bem, cessamos de afligir-nos a respeito do futuro. Devemos confiar em Deus assim como uma criança confia em um amoroso pai. Então, desaparecerão as preocupações e tormentos; pois nossa vontade fundir-se-á com a vontade de Deus. —  O Maior Discurso de Cristo, 87.

Cuidado e ansiedade emprestados

Em confiar continuamente em Deus há segurança; não haverá o constante temor de um mal futuro. Esse cuidado e ansiedade tomados emprestados cessarão. Temos um Pai celestial que cuida de Seus filhos, e deseja tornar, e tornara, Sua graça suficiente em todos os tempos de necessidade. — Testemunhos para a Igreja 2:72.

Deixar com Deus o futuro

Posto que sejam supridas suas necessidades presentes, muitos não estão dispostos a confiar em Deus para o futuro, e se acham em constante ansiedade, receosos de que a pobreza lhes sobrevenha, e seus filhos venham a sofrer. Alguns estão sempre a ver antecipadamente o mal, ou a aumentar as dificuldades que realmente existem, de modo que seus olhos ficam cegos às muitas bençãos que lhes reclamam gratidão. Os obstáculos que encontram, em vez de os levar a buscar auxílio de Deus, a única Fonte de forca, separam-nos dEle porque despertam inquietação e descontentamento. …

Jesus é nosso Amigo; todo o Céu se interessa em nosso bem estar; e nossa ansiedade e temor entristecem ao Espírito Santo de Deus. Não devemos condescender com cuidados que apenas nos impacientam e angustiam, mas não nos auxiliam a suportar as provações. Nenhum espaço deve ser concedido aquela desconfiança para com Deus, a qual nos leva a fazer dos preparativos para as futuras necessidades a principal preocupação da vida, como se nossa felicidade consistisse nessas coisas terrestres. — Patriarcas e Profetas, 293 e 294.

Ansiedade indevida

Deus não condena a prudência e a previsão nos usos das coisas desta vida, mas o cuidado febril, a ansiedade indevida com relação as coisas do mundo não estão de acordo com a Sua vontade. — Conselhos sobre Mordomia, 159.

Enfraquece as forças físicas

As provações e ansiedades que Paulo havia suportado despojaram-no de suas forças físicas. —  Atos dos Apóstolos, 488.

Cristãos de coração angustiado

Muitos que professam seguir a Cristo tem um coração angustiado e inquieto porque receiam confiar-se a Deus. Não se entregam completamente a Ele, porque temem as consequências que tal entrega possa implicar. Enquanto não fizerem essa entrega, não podem encontrar paz. — A Ciência do Bom Viver, 480 e 481.

Minuto a minuto

Existe uma coisa a respeito da qual quero lhe prevenir. Não se aborreça nem se angustie; não vale a pena fazer isso. Não tente realizar demais. Se não procurar empreender exageradamente, você terá êxito conseguindo muito mais do que tentando executar planos demasiados. Tenha constantemente na memória as palavras de Cristo: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação.” Marcos 14:38. Cristo e o seu Salvador pessoal. Creia que o divino poder de salvar é exercido em seu favor minuto a minuto, hora a hora. Cristo está ao seu lado em todo tempo de necessidade. — Carta 150, 1903.

Transpondo pontes antes do tempo

Necessitamos de agir como pessoas remidas pelo sangue de Cristo; devemos regozijar-nos no sangue de Cristo e no perdão dos pecados. Isso é o que devemos fazer, e que Deus nos ajude a afastar a mente dos quadros escuros, e pensar nos assuntos que nos proporcionem luz. Agora desejo ler outra passagem: “Não andeis ansiosos de coisa alguma.” Filipenses 4:6. Que quer isso dizer? Não temos de atravessar uma ponte antes de chegar a ela. Não inventemos um tempo de angústia antes que venha. Isso vai chegar logo, irmãos. Pensemos no dia de hoje, e se cumprirmos bem os deveres atuais, estaremos prontos para os do amanhã. — Manuscrito 7, 1888.

Procurando alcançar as normas do mundo

Muitos há cujo coração geme sob o fardo do cuidado, porque procuram atingir a norma do mundo. Preferem servir ao mundo, aceitar suas angústias e adotar os costumes do mundo. Assim é manchado o seu caráter, e seu viver se torna uma fadiga. Para satisfazer a ambição e os desejos mundanos, ferem a consciência e trazem sobre si uma carga adicional de remorso. A continua ansiedade consome as energias vitais.

Nosso Senhor deseja que ponham de lado esse jugo de servidão. Convida-os a aceitar o Seu jugo; e diz: “Meu jugo e suave e o Meu fardo e leve.” Mateus 11:30. Manda-lhes que busquem primeiro o reino de Deus e Sua justiça, e promete que todas as coisas necessárias a esta vida lhes serão acrescentadas.

A ansiedade é cega, e não pode discernir o futuro; mas Jesus vê o fim desde o começo. Em toda dificuldade tem Ele um meio preparado para trazer alívio. — O Desejado de Todas as Nações, 330.

A fé pode ser invencível

Não vamos ficar abatidos. Olhando para as aparências, e queimando-nos quando vem dificuldades e apuros, revelamos fé doentia, debilitada. Por nossas palavras e obras, mostremos que nossa fé é invencível. O Senhor é rico em recursos. Ele é dono do mundo. Olhemos para Ele, que tem luz, e poder e eficiência. Ele abençoará todo o que procura comunicar luz e amor. — Testemunhos para a Igreja 7:212.

Angústia não faz crescer a planta

Em vez de nos tornarmos ansiosos com o pensamento de que  não estamos crescendo na graça, simplesmente cumpramos cada um dos deveres que nos são apresentados, levemos no coração a importância das pessoas, e por todo meio concebível procuremos salvar os perdidos. Sejamos bondosos, corteses, misericordiosos; com humildade falemos da bem-aventurada esperança; do amor de Jesus; de Sua bondade, misericórdia e justiça; e paremos de vez de estar preocupados com crescer ou não na graça. As plantas não crescem por qualquer esforço consciente. … A planta não está em contínua preocupação acerca de seu crescimento; simplesmente cresce, sob a supervisão de Deus. — Minha Consagração Hoje, 103 (Meditações Matinais, 1989).

Remédio para a angústia

Deus cuida de tudo e sustenta todas as coisas que criou. Nenhuma lágrima é vertida sem que Deus a note. Não há sorriso que Ele não perceba. Se tão-somente crêssemos verdadeiramente nisso, desapareceriam todas as ansiedades inúteis. Nossa vida não estaria tão cheia de decepções como agora; pois tudo, quer grande quer pequeno, seria confiado às mãos de Deus, que não Se embaraça com a multiplicidade dos cuidados, nem é dominado por seu peso. Haveríamos de desfrutar então uma tranquilidade de espírito completamente desconhecida de muitos. — Caminho a Cristo, 86.

Fé afugenta ansiedade

Todos nós somos tão ansiosos pela posse da felicidade, mas muitos raramente a encontram, por causa de seus métodos errados de buscá-la. Temos de lutar fervorosamente e misturar todos os nossos desejos com fé. Então a felicidade sobrevirá como de improviso, sem quase a buscarmos. … Quando pudermos, apesar das circunstâncias desagradáveis, descansar confiantemente em Seu amor, isolando-nos com Deus, esperando pacificamente em Seu amor, o senso de Sua presença inspirara uma alegria profunda e tranquila. Essa experiencia nos confere uma fé que nos habilita a não ficarmos agitados, nem ansiosos, mas confiantes no poder infinito. — Minha Consagração Hoje, 184 (Meditações Matinais, 1989).

Princípio único

Os que aceitam como o único princípio honrar a Deus e servi-Lo, e fazem disso seu supremo objetivo, hão de ver dissipadas as angústias, e uma estrada plana diante de seus pés. — O Desejado de Todas as Nações, 330.

Um dia de cada vez

O cumprimento fiel dos deveres de hoje é a melhor preparação para as provas de amanhã. Não pense em todas as dificuldades e cuidados de amanhã, ajuntando-os ao fardo de hoje. “Basta a cada dia o seu mal.” Mateus 6:34. —A Ciência do Bom Viver, 481.

Um dia de cada vez nos pertence, e durante esse período cumpre-nos viver para Deus. Nesse dia, devemos colocar nas mãos de Cristo, em solene disposição de servir, todos os nossos desígnios e planos, depondo sobre Ele toda a nossa solicitude, pois tem cuidado de nós. “Eu bem sei os pensamentos que penso de vos, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais.” Jeremias 29:11. “Em vos converterdes e em repousardes, estaria a vossa salvação; no sossego e na confiança, estaria a vossa força.” Isaías 30:15. — O Maior Discurso de Cristo, 101.

Não nos tornemos infelizes por causa dos fardos de amanhã. Corajosa e animadamente suportemos os fardos de hoje. Precisamos de confiança e fé para hoje. Não nos é pedido que vivamos mais do que um dia por vez. Aquele que concede forças para hoje, dará forças para amanhã. — Nos Lugares Celestiais, 269 (Meditações Matinais, 1968).

Forças para cada prova

Nosso Pai celestial mede e pesa cada prova antes de permitir que ela sobrevenha ao crente. Ele considera as circunstâncias e força daquele que vai ficar sob a prova e o teste de Deus, e jamais permite que as tentações sejam mais fortes do que a capacidade de resistência. Se a mente é sobrecarregada, a pessoa subjugada, isso nunca pode ser atribuído a Deus, como tendo deixado de conceder forças em graça, mas o tentado não esteve vigiando e orando e, pela fé, não se apropriou das provisões que Deus tinha em abundante reserva para ele. Cristo jamais falhou a um crente em sua hora de combate. O fiel tem de apegar-se a promessa e enfrentar o inimigo em nome do Senhor, e desconhecera qualquer coisa semelhante a um fracasso. — Manuscrito 6, 1889. [37]

As relações entre Deus e cada pessoa são tão particulares e intimas como se não existisse nenhuma outra por quem Ele houvesse dado Seu bem-amado Filho.

Medo — Sensação de insegurança na iminência de um perigo. Esse e o medo racional. Mas a culpa, a ansiedade e a angústia geram várias fobias ou medos irracionais.

Todos os capítulos postados podem ser lidos aqui

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *